FESTA DE 7 ANOS DO CLUBE DO JAZZ: A VIDA É SONHO

18 set

Um é pouco, dois é melhor… sete é bom demais! E a coisa só melhora, diria eu, o que mostra que a idade também sabe trazer vantagens. Está evidente que no caso do Clube do Jazz o tempo tem sido aliado. A família cresce e se diversifica, o programa se solidifica e amadurece, nosso universo se expande. Tudo vitaminado! E pra quem duvida, a prova provada disso, a cobra + o pau mostrados, são nossas festas de aniversário.

Em parceria renovada com o CJ, Tio Maneco abriu terreno para uma noitada de arrepiar os ouvidos. O público captou desde cedo o que testemunharia e encheu a casa, aplaudiu cada tema e saiu sorridente – já meio alto do chão. Mas também com alguma parte de sua fé restaurada na possibilidade de encontros assim, que permitem reunir arte, descontração, prazeres bem mundanos e, sobretudo, estar cara a cara com gente de carne e osso, muito real, com emoções reais, respiração e fora do smartphone. Para mim, este ponto sempre foi e será o mais importante. Um programa de Jazz e nossas festas como espaço para encontro e troca.

A noite também tinha perfume especial com o début público do novo comandante do Clube do Jazz desde fevereiro, o fabuloso André Teixeira, certamente um dos mais robustos entusiastas da vida cultural em Sergipe. Batizado, juramentado e sacramentado!

Sim, claro, o Quarteto do Clube do Jazz. Tem alegria nas pernas e nos braços, é nossa força motriz, a locomotiva, o carro-chefe, nosso leitmotiv! Lembrei de mais um: nossa vedete! Enfim, os meninos dos olhos da noitada. Com sua estrada já longa e muitas celebrações nas costas, o Quarteto não se mixaria por pouco. E por isso mesmo, se excedeu! Repertório exuberante, ousadias e riscos que pouca gente se propõe a sair de casa para fazer frente a um público de centenas. Como no Jazz se faz malabarismo sem rede de proteção, aceitar esses desafios é sempre motivo de orgulho. Além de temas para todos os gostos e fetiches, o Quarteto soltou composições de próprio punho, a saber, Nuala e Clube do Jazz, do líder e lenda Alejandro Habib, e Song for Friends, Don Alejandro e Mr. Seidl, de Saulinho Ferreira. Nosso baterista e relações públicas Rafael Jr., junto com Fabio Cavalieri no baixo acústico, mostrou por que no Jazz a sessão rítmica vale ouro, assim como todo time campeão começa por uma bela dupla de zaga.

Mas não ficamos por aí, pois saias e vestidos também subiriam ao palco em diferentes turnos, dando voz e ainda mais cores à noite. A começar pelo branco abre-alas levado por Lina Sousa (Água de Beber e Só Danço Samba), cuja biografia musical renderia uma porção de artigos. E então tivemos certeza de que Samba & Jazz vieram mesmo para ficar. Tanto que mais adiante Monara (Ladeira da Preguiça e Sambou, Sambou) manteve a trilha, com ganho em decibéis. Algumas milhas e doses à frente, Vanessa Góes continuaria no Samba (Upa Neguinho), depois cedendo ao standard (I’ve Got You Under My Skin) e, finalmente, chutando o pau da barraca e o ninho de pássaro com um Rythm & Blues anos 2000 (Rehab). Juro que vi pessoas pedirem uísque duplo nessa ocasião! Mas não acabou. O retorno do Samba Jazz – quase um Rambo da música – ainda renderia batidas de pezinho (Nanã) na voz enrouquecida de Soayan, que encontrou gás e coragem para enfrentar um tour de force de Nina Simone (I Put a Spell on You). Agora já eram garrafas de scotch que desembarcavam nas mesas. Me perdoem, mas nessas horas não há dia seguinte…

E teve a hora do bolo; e que bolo, deus do céu! E novamente um parabéns a você em ritmo de Jazz. Assim entramos pela madrugada. Uma dose de nostalgia já me assalta, ainda mais porque dessa vez escrevo esta pequena crônica de longe.

La vida es sueño. E juntos temos sonhado com o Clube do Jazz há mais de 7 anos. Naquela noite, tenho certeza, ardemos.

Muito obrigado, grande abraço e até breve.

Ernesto Seidl

Algumas fotos em: https://www.facebook.com/programaclubedojazz/photos/pb.695480233835584.-2207520000.1411063493./787700407946899/?type=1&theater

Clube do Jazz no Facebook: https://www.facebook.com/programaclubedojazz?fref=ts

Arte do Cartaz: Senhor Pablo Carranza

Uma resposta to “FESTA DE 7 ANOS DO CLUBE DO JAZZ: A VIDA É SONHO”

  1. Soayan Silveira de Almeida setembro 21, 2014 às 9:57 pm #

    O que dizer? que amo fazer parte disso tudo? Todos sabem! Que minha rotina semanal com o CJ me proporciona um momento de pura autoestima cuidando de mim mesma com mimos enogastronômicos capitaneados pela noite jazzística? Essa é velha! Que o CJ me presenteou com imersão da minha linda galeguinha no mundo do jazz, do qual ela já se considera fã? É de público conhecimento… Mas esse amor renovado em música, essa fraternidade louca e visceral que se criou ao redor do Programa e a emoção que isso provoca, nunca conseguirei descrever. Que venham mais 14, 21, 28…Quem sabe não veremos ainda Malu e Marina (e quem mais vier à frente do Programa?) O temppo dirá e quem viver verá! Mil beijos à família CJ!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: